Translate

sexta-feira, 17 de março de 2017

Legalização da maconha não diminuiu tráfico no Uruguai



Em dezembro, a Brigada de Narcóticos indicou que a droga mais confiscada em 2016 foi a maconha, chegando a 4,305 toneladas até 18 de dezembro

Maconha: "No ano passado tivemos os níveis históricos mais altos de confisco no país proveniente de outra região" (Thinkstock)

domingo, 5 de março de 2017

Você Não Soube Me Amar: Polícia, Intelectuais e Ideologia

Cresci aprendendo que polícia é uma coisa ruim. No meu círculo social ninguém era policial. Polícia era para ser temida; delegacias eram lugares tenebrosos. O nome “camburão” inspirava imagens de regime militar e autoritarismo. Na escola nunca me explicaram a função da polícia, como ela se organizava ou que benefícios ela gerava. Em absolutamente todos os livros, filmes, gibis, programas de televisão, peças de teatro e músicas que eu consumia polícia significava opressão, violação de direitos, extorsão ou tortura.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Reportagem "Desinteligente" do Correio da Bahia


Jaguaraci Barbosa 

Há alguém que acredite ser o interesse da imprensa levar informações de utilidade e  interesse público? ! Sabido é que existe interesses mercadológicos É ideológicos por trás de tudo que os veículos de comunicação fazem, mas a eles não é dado o direito de abrir mão dos pilares citados. A matéria do Correio da Bahia  (veja aqui) que expõe cidadãos e  policiais a risco de morte dentro de coletivos é absurda.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

DEVANEIO: Vênus em rota com Saturno

“Óh Vênus! Por mais que sejas rosa repleta de espinhos, Saturno a carregará sobre ombros, não obstante vive, por prazer, embriagado pelo teu perfume e sabor e beleza. Anestesiado de gozo, desdenha espinhos e furadas.

sábado, 5 de novembro de 2016

Escolas criminológicas e o documentário sobre Leonardo Pareja

JAGUARACI BARBOSA
A fama criada pelo psicopata (Leonardo Pareja) nos anos 90, quando o criminoso desafiou a polícia e consequentemente o Estado, tanto pelas suas práticas criminosas, quanto pela fugas cinematográficas e audácia de revelar seus possíveis destinos, em várias entrevistas dadas a emissoras de rádio e TV, despertou no Estado e em autoridades a necessidade de pegá-lo a qualquer custo.